Votar neste projeto

Debora Constancio Bacheschi  |  São Caetano do Sul, SP

Fronteira Temporal: A sobrevivência da cultura San nos dias de hoje

O Povo San é considerado uma das civilizações mais antigas da humanidade ainda existentes. O termo San refere-se a diversas etnias africanas de caçadores-coletores que possuem conexões históricas e linguísticas, além de significar “os que não criam gado” na língua bantu. Durante milhares de anos ocuparam vastas regiões da África mas ao longo da história, foram empurrados para as regiões fronteiriças do Zimbabue, Botsuana, Namíbia e África do Sul, tanto devido a conflitos tribais quanto a colonização europeia. Atualmente, são poucos os que vivem e preservam a cultura e tradição, mantendo seus hábitos milenares em uma sociedade de partilha onde pequenas famílias vivem sem liderança, mas com os papéis bem definidos: os mais velhos encarregam-se de transmitir o saber tradicional através da transmissão oral, enquanto os mais novos ocupam-se da manutenção da comunidade através da caça e da coleta. Em contrapartida, grande parte dos Sans de hoje estão quase que inteiramente integrados ao mundo moderno, e sujeitos as grandes transformações impostas pela globalização, quebra de fronteiras e intersecção das sociedades. O resultado é a especiação cultural e ideológica, e uma gradual homogeneização dos hábitos e costumes. Essa serie fotográfica busca retratar a fronteira entre o passado e o futuro, e a luta de agentes pela preservação de uma cultura milenar em processo de transformação.