Thais Andressa da Silva   |  São João del-Rei, MG

Poéticas do Cotidiano

Durante a quarentena, buscando na arte um refúgio, passei a fotografar todos os dias, a criar ambientes imaginários, a expressar minhas emoções, meus medos e tudo que me envolvia. Passei a contemplar mais o que estava à minha volta, ouvir os noticiários e refletir sobre o rumo que a humanidade estava tomando. A série Poéticas do Cotidiano, foi desenvolvida neste contexto. A arte fotográfica e a poesia nela contida, ensinou-me sobre a vida, fazendo-me refletir sobre a necessidade de pausas e do autoconhecimento. Inspirei-me em poetas como Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade, Orides Fontela, Leminski e Ferreira Gullar, para compor a série. Mesmo seguindo uma linha mais poética, considero o trabalho também político, pois é uma forma de colocar minha voz no mundo. Não quero ficar muda em meio ao caos. Preciso expressar, por meio da fotografia, a relação do homem com o espaço que habita , em toda sua subjetividade. A nossa casa, guarda memórias afetivas e nos faz contemplar o passado, as ausências e o nosso eu. Poéticas do Cotidiano são as emoções fragmentadas, refletidas entre a sombra e a luz. São as angústias e inquietações transformadas em arte.