Patricia Borges  |  Rio de Janeiro, RJ

Insomnia

A série INSOMNIA surgiu durante a pandemia. Fotografada durante as noites que se tornaram cada vez mais longas em confinamento domiciliar. A iluminação pública penetra pela janela, e é refletida nas superfícies internas do apartamento. Conforme o olho se acostuma com a escuridão, torna-se possível registrar as variações de tom e temperatura vindas da luz dos postes. São três tipos diferentes de lâmpadas. Em um movimento contrário ao do dia no qual olhamos para fora; à noite, fragmentos do mundo exterior são registrados no interior do espaço doméstico. A paisagem refletida se dilui. A eterna vigília de quem não dorme embala as sombras e desafia a consciência. É difícil dizer se os olhos estão abertos ou fechados. Assim habito um lugar entre o sono e o sonho. Inspirado nas obras Sono (de Haruki Murakami) e A Máquina Parou (de E.M. Forster)