Jorge Sato  |  São Paulo, SP

Microcosmos

O surto se aproximou e o confinamento foi preciso. A noção do tempo foi perdida e o controle sobre as ações mais simples, dissolvida. A realidade se tornou mais fria devido a suspensão das interações físicas e duvidosa, já que vivenciamos um prelúdio distópico do romance de George Orwell. Como consequência deste cenário surge o projeto Microcosmos, que busca representar o universo interior refletido sob um olhar onírico de objetos triviais espalhados pela casa. Sentimentos inconstantes e contrastantes dão vida a uma releitura silenciosa, nostálgica, misteriosa e sideral. A ideia deste projeto é canalizar as angústias, anseios e o vazio provenientes do isolamento e levá-las a um refúgio criativo. É dar propósito a este tempo suspenso que nos remete a um eterno Déjà vu. É conceder à alma um breve conforto e um respiro profundo.