Péricles Mendes da silva  |  Salvador, BA

Descartáveis

A série fotográfica Descartáveis consiste em uma investigação sobre a difusão do automóvel como extensão do indivíduo, sua produção em massa e os impactos causados por esta na paisagem de Salvador. No recorte dado à pesquisa as fotografias exploram os veículos roubados e abandonados em áreas de proteção ambiental (APA) após serem depenados para venda de peças ou participarem de atos ilícitos. No ensaio as imagens se propõem tanto a refletir sobre o estilo de vida em que a propaganda e o marketing expande a circulação e o consumo de veículos como fetiches, quanto a evidenciar as “sequelas” da natureza humana ao ser seduzida por estes mecanismos da mídia. No ensaio a construção do olhar se deu ao analisar campanhas comerciais relacionadas com a ideia de “liberdade” e fantasia proporcionada pelo ato de conduzir/adquirir um veículo, constatando-se sua inserção na sociedade como um objeto de desejo e consumo. Fabricado em larga escala vem se tornando cada vez mais descartável, todavia as transformações na urbe decorrentes das políticas de incentivo ao consumo do automóvel são perpetuadas no espaço/paisagem. A construção de vias de rodagem, viadutos, estacionamentos, túneis etc., acabam transfigurando a cidade em uma metrópole enviesada por vias de passagem, interferindo diretamente na relação entre o indivíduo como pedestre e o seu espaço (cidade) de deslocamento. O ato de flanar pela cidade a fim de conhecê-la como local de identidade e pertencimento tem se tornado um comportamento inviável, pouco frequente entre os transeuntes que vão de encontro à modernização dos meios de locomoção individual. As carcaças abandonadas provenientes de ações violentas e torpes revelam uma parte obscura da índole humana que não consegue usufruir da prosperidade e felicidade prometida pela aquisição sistemática de veículos. Esta natureza humana contrasta com a paisagem natural onde os carros são “desovados”. Assim, se instala uma atmosfera ambígua onde se entrecruza uma serenidade tropical - a mata, a luz difusa - com atos de fraudes. Recursos como o uso de flashes, cores saturadas e contrastadas remetem a uma estética fotográfica publicitária, entretanto neste ensaio o contexto mercadológico é invertido ao apresentar as carcaças estetizadas como restos e índice de uma ruína social e moral.