Pablo Alfredo De Luca  |  Maceió, AL

Recortes do mundo refletido.

Meu projeto é sobre o imperceptivel e belo mundo que parcialmente reflete em janelas. Esta série de fotografias poderiam estar inspiradas na estrofe do poema musicado “Paisagem da Janela” do compositor mineiro Lô Borges, que diz: “Da janela lateral, do quarto de dormir, vejo uma igreja, um sinal de glória, vejo um muro branco e um voo pássaro, vejo uma grade, um velho sinal...”. Nestes últimos tempos as janelas tornaram-se um símbolo. São uns dos principais protagonistas na paisagem de que observa a vida desde o lado de dentro. Por estas, pode se perceber um pequeníssimo fragmento do mundo real. Paradoxalmente, nas suas vidraças, desde o lado de fora, podem se ver refletidos recortes de um mundo mágico, surpreendente e sedutor. Escolhidos a partir de diversas perspectivas do olhar, e de estéticos delineamentos que remetem a sonhos ou poesias.