Daniel Machado  |  Joinville, SC

Psicodeflação

Vivemos a era da superação. Para muitos, não basta tomar algo como referência, é preciso superá-lo e se não superá-lo, não foi bom suficiente. É preciso conhecer todos os assuntos do momento, estar por dentro de todas as novidades, se não conhecer tudo, está desatualizado. É preciso ter opinião para todos os assuntos, por mais que tenha argumentos delineados, se você não opinar imediatamente, está “em cima do muro”. Sejamos sinceros, quem aguenta esse ritmo? Vivenciar algo é fazer com que determinado momento adquira um significado profundo. Para adquirir significado é preciso imergir, viver intensamente. Como viver tudo, ter opinião para tudo, superar tudo, fazendo com que esse tudo possua significado? Isso não é possível, pelo menos não de maneira saudável. Acredito que seja mais saudável uma vivência suficiente, daquilo que é suficiente para cada um. Isso não é ter uma vida mediana como alguns acreditam. Isso é ter uma vida repleta de momentos significativos. E se o reflexo para a pandemia fosse uma resposta sobre o ponto de equilíbrio para manter o capital financeiro estável sem colocar em risco a vida humana e outras formas de vida? Por sorte, um dia seremos infectados por um vírus ideológico, responsável por infectar a ideia de que fazer parte de uma determinada sociedade não é mais importante do que fazer parte da humanidade.