Livia Koeche  |  Porto Alegre, RS

Esplanada

Registros fotográficos de instalação imersiva de videomapping sobre arquitetura modernista, realizada a partir da construção audiovisual de time-lapses do horizonte projetados. Realizada durante o período de isolamento social provocado pela emergência da pandemia de COVID-19. Trata da experiência paradoxal entre presença e ausência - de estados mutantes entre realidade concreta e projeção imaginada: reflexos - que articulam-se no experimento poético Esplanada. Como método e meio utiliza-se a matéria definida na palavra Esplanada: a visão, a sua subtração, a sua fragmentação e recomposição em utopias e distopias possíveis e latentes neste lugar sem-tempo, ou tempos sem-lugar no horizonte da experiência. O vídeo de artista e as fotografias propõem uma abertura da percepção dos tempos na sucessão e interpolação de dias quasi-iguais, que vivemos juntos, ainda que isolados. Presença, ausência e percepção, durante o isolamento social e o confinamento, são constantemente atravessadas por “projeções” epidemiológicas, econômicas, conjunturais, reflexivas. Na esfera da individualidade, estamos “projetando” o tempo todo a pulsão de vida e a pulsão de morte, em termos freudianos, sobre o horizonte aberto e o bloqueio de limites, do não-visto, do inconsciente ou aparentemente ausente, através da imagem como espelho.