Giovana Montes Celinski  |  Ponta Grossa, PR

Espelhos do isolamento

“Poderia o bater de asas de uma borboleta no Brasil causar um tornado no Texas”? A reflexão do matemático Edward Lorenz sobre o Efeito Borboleta, realizada na década de 1960, fala também do nosso contexto pandêmico atual. Ao longo desses meses de confinamento, busquei investigar o caos sistemático do cotidiano iniciado por um vírus que se espalhou pelo mundo. Meu interesse se voltou para os pequenos universos. No dia a dia, o isolamento social, o trabalho remoto e o uso de máscaras transformaram completamente os relacionamentos e as interações sociais. Em busca dos reflexos da pandemia nas relações humanas, nesse projeto fotográfico acompanhei e registrei meu noivo em sua rotina no mês de março de 2021. Encontrei nas lentes de seus óculos, nas telas da televisão, do computador e do celular os fragmentos da realidade exterior que correm em um universo paralelo. O céu e o sol se escondem nessa época de incertezas. O mundo do isolamento se constrói na ausência. Não há espaço para o toque. O abraço. O encontro.