Elenice dos Santos lourenço  |  Peruíbe, SP

Todo Corpo é Memória

Trata-se de uma revisitação poética, artístico cosmogônica, onde as fotografias partem da memória anímica, empírica e ancestral, individual e coletiva, que transita de forma atemporal pelos períodos históricos e refletem sobre a origem e a transição da vida, a partir dos conceitos que envolvem as teorias criacionistas, evolutivas, religiosas, culturais, astronômicas e históricas mundo afora, e a forma com a qual esses conhecimentos retratam a criação e a evolução humana, o surgimento da fala e do universo dos signos, a ancestralidade e miscigenação, a natureza, dança e a organicidade da vida, partindo da sensibilidade, a conjugação do que é diferente e próximo nas esferas do conhecimento coletivo, cujo repertório, na maioria das vezes, está presente no inconsciente das pessoas, o que as permite assimilar, viver e consumir essa Arte fora do que é estabelecido pelas academias, pois é presente no dia a dia e repassado de geração a geração ao longo dos séculos. Assim, a pesquisa ‘Todo Corpo É Memória’ remonta a importância da Natureza Fractal, da Fotografia em sua conjuntura expansiva que fala do infinito que habita cada pessoa, cada ser vivo dentro e fora do planeta Terra, pois é contínua, cotidiana e remete ao sensível, fora da persuasão estética. É a captura livre, acessível e democrática; é a vida em diálogo constante junto das calamidades que também levam ao renascimento.