Vitor Luiz Medeiros de Souza  |  Belo Horizonte, MG

Nagôgrafia

O projeto ‘Nagôs’ é uma exposição de fotos-performances de pessoas negras, que explora as relações de espaço-tempo-movimento, enquanto enaltece os corpos e suas expressões plurais, com foco em negros e negras. ‘Nagô’é uma palavra da língua Iorubá (em empréstimo lexical ao portguês) que designa três definições: A Primeira Sobre o Povo (cultural) Nagô, uma identidade coletiva estabelecida durante e após o tráfico de africanos pelo atlântico. A Segunda sendo a definição estética genérica para certos estilos de penteados trançados. E por fim a Terceira, a palavra Nagô, significa Caminho. Nesse sentido, é coerente ao projeto, se beneficiar das três definições, sendo a primeira para uma e representação identitária, uma vez que o projeto enaltece pessoas negras, sendo muitas de de tradicionais. o O projeto se inspira, também, no caráter estético que a palavra nagô aporta ao atribuir um tipo específico de penteado, promovendo toda uma simetria visual condizente com as expressões e visões negras de mundo. E, por fim, sendo registro desses caminhos ( e movimentos) de negros e negras na diáspora, uma vez que as foto-performances explicitam a corporeidade e pujança das variações fenotípicas-culturais, que se encontram em constante movimento e resistência, espalhadas pelo território brasileiro.