alexandre mortagua  |  São Paulo, SP

DE CABEÇA EM ÁGUAS PROFUNDAS

"De cabeça em águas profundas" resgata a memória a partir do outro, de experiências em grupo e da contemplação. É uma reflexão de, assim como as águas mais profundas, como a memória funciona como um espelho turvo, onde é preciso afundar a cabeça cada vez mais fundo para enxergar com nitidez. Ao aproximar o rosto do fundo, a memória funciona como um mergulho ao fundo do oceano, onde conhece-se pouco ou quase nada.