dani tranchesi  |  sao paulo, SP

Espelhos negros

Na série Espelhos Negros dou continuidade à minha pesquisa sobre a relação entre fotógrafo, fotografado e espectador representando-a como triângulo narcísico e amoroso. Nas várias camadas das obras, fotógrafo e fotografado se cruzam e, com a peça de acrílico preta colada na fotografia posteriormente, incluo o espectador através de seu reflexo.  Como articulado por Phillipe Dubois, quando o espectador olha para uma imagem, exercita seu narcisismo, mesmo quando não há coincidência entre espectador e fotografado. A imagem que interessa e capta o espectador de alguma forma interessa-o narcisicamente. O acrílico preto reflexivo explicita assim a relação entre o espectador e a imagem, como um lago escuro que escancara uma selfie.  As camadas que constituem a fotografia impressa revelam a figura do fotógrafo com quem o fotografado trocou olhares. Com isso, crio um novo tipo de imagem que não mais separa os três personagens do ato fotográfico mas integra-os na relação foto-amorosa.