Marcelo Salum  |  São Paulo, SP

FÉRTIL BALDIO: CONSTRUIR SOBRE O IMPROVÁVEL

O projeto FÉRTIL BALDIO, em seus desdobramentos, busca uma intersecção entre espaços institucionais e outros circuitos, traçando uma linha de continuidade entre o dentro e o fora dos lugares oficialmente destinados às práticas artísticas. O projeto trabalhou, desde o final de 2019, com a memória simbólica da Villa Lago Epecuén, uma ruína arquitetônica que se encontra a mais de 500 km a leste da cidade de Buenos Aires, decorrente de uma inundação ocorrida no ano de 1985 sob a qual permaneceu por 15 anos. O trabalho se fixou na relação entre o esforço construtivo e o esgotamento, entre a edificação e a ruína. Ao se aproximar desse horizonte modernista tornado escombro, o projeto escavou narrativas sedimentadas junto com o sal proveniente da laguna de Epecuén no sentido de entrar em contato com presenças virtuais ali presentes. As fotos são registros de uma experiência de uma aproximação contraditória entre as ruínas e um elemento de domesticidade: fronhas brancas, que às vezes se transformam em bandeira, nas quais se pode ler impressas as palavras “baldío”, agotamiento y criación” e “improbable”.