Monica Paes  |  Sao Paulo, SP

Paire

Paire fala sobre os nossos reflexos e reflexões. Sobre nossa outra parte. A observação de nossos outros “eus”. Platão, em sua obra “O Banquete”, descreve a nossa eterna busca, por nossa outra metade, chamando de alma gêmea. O texto que inspirou os movimentos românticos por toda nossa história conta que no inicio, o ser humano era um ser completo, com duas cabeças, dois braços e duas pernas. E por serem tão bem desenvolvidos e hábeis, subiram aos céus e desafiaram os deuses, mas vencendo a batalha, Zeus cindiu o ser humano, dividindo-o em duas partes; e assim jogados de volta a terra, passamos a nossa existência em busca da outra metade, já que a saudade nada mais é que a falta da nossa completude. Em um olhar mais amplo, buscamos o nosso par, no íntimo de nossa alma, como a metade que nos falta, podemos sentir a plenitude da saudade, atrelada a dor de não nos pertencemos, nos jogos e troca de papeis que a realidade da vida nos impõe. Ser observador de si é ter a resposta que buscamos. É encontrar o seu próprio par.