Patricia Pontes  |  São Paulo, SP

CACOS

As fotografias que apresento, foram tiradas em um pátio da polícia rodoviária. Revelam detalhes de carros destruídos, abandonados e deteriorados pelo tempo. Elas retratam os cacos decorrentes de acidentes de percurso, vidros fragmentados pelo choque. São reflexo do caos, da dor e do erro. Mas se nos ativermos simplesmente à abstração dos cacos, nos perdemos na beleza e na complexidade do craquelado, no brilho e na sombra, e na diversidade de tons que a luz nos revela. Nietsche diria: “É preciso ter caos e frenesi para dar luz à estrela dançante” Teria ele razão?