Jonathan Vallejo  |  Florianópolis, SC

Mosaicos

É uma serie de fotografias que me dizem o quanto são importantes os momentos de um cotidiano que hoje se vê afetado por una pandemia. As fotografias foram tiradas da Cachoeira do Poção em Florianópolis, lugar que da lazer a muitas pessoas, dito isso, gostaria de convidar a fazer uma reflexão sobre o quanto é importante o cuidado destes lugares. Com o tempo perdemos a conexão com o nosso planeta, isso tem trazido consequências muito graves que vão além da pandemia, tem violência em casa, as pessoas estão estressadas e esses lugares visitados nos deixam relaxados intensamente, mas muitas das vezes encontra-se resíduos e isto tem gravíssimas consequências para a vida silvestre e muitas das ocasiões desaparece. Por outro lado, num olhar mais onírico, falando de essa conexão entre a terra e nós, da qual os nossos ancestrais falam, o Brasil é um território para començar enxergar essa conexão e de alguma maneira mostrar o quanto este lugar é imenso e só quer nos ver prosperar, enxerguei reflexos de como vivíamos e como queremos viver, sempre se trata de uma contradição onde os pensamentos materialistas ganham, este é o resultado de pensamentos fundidos ao ato de fotografar, uma conexão do tempo e espaço de um lugar de natureza abissal, de gente incrível, forte, guerreira, que fala de um Brasil que todos querem mas poucos procuram tê-lo, mas esses poucos estão presentes e vivos, dispostos a entregar qualquer coisa por manter as raizes dessa arvore imensa crecendo, a base de reflexões e trabalho onde o que realmetne importa é o ser que esta na tua frente ao entregar da alma ao outro, isso muito de perto, porque de longe é duro de enxergar já que precisam olhos abertos e coração latente para que a luz entre e forme imagens, lembranças e sentimentos inesquecíveis mas podaríamos continuar escrevendo palavras e gerando textos e nada mudaria, tudo ficaria do mesmo jeito assim pensaria o abatido. Temos perdido a conexão até mesmo com os nossos entes queridos, nesta pandemia a conexão que uso é a do wifi, não paramos, não deixamos a terra respirar, muitas coisas para pensar, muitas coisas para conhecer, pouco tempo para viver mas muita energia para entregar. Levo meu trabalho ao conhecimento empírico, aquilo que agente vai conhecendo e descobrindo com ajuda do outro, do lugar onde podemos aprender de todos e só dependerá do quanto estamos escutando a batida da música e como dançamos ao ritmo do palpitar da terra, convido a sair da tela do computador acreditemos que somos livres, convido a sair dessa realidade e começar a ter cuidados próprios baseados no que enxergamos hoje em dia, convido a cuidar mais um do outro, mas sobre tudo cuidar daquele lugar que todos queremos viver. Sou Mexicano (Cidade do México) e tive a oportunidade de viver alguns anos em Florianópolis, regressei para a minha gente em Dezembro de 2020, forçado a refletir sobre o nosso papel após a pandemia.