Stephanie Boaventura  |  Belo Horizonte, MG

Ensaio Resguardo

Quando recebemos a notícia da gravidez, já se ouvia, com um tom de preocupação ainda difusa, notícias do novo vírus que causava estrago do outro lado do mundo. Três meses depois, entramos em quarentena e ainda não saímos. Esta minissérie de 10 imagens é intitulada "Ensaio Resguardo" e surgiu da documentação fotográfica da gestação do nosso primeiro filho, do primeiro ao quarto trimestre (também chamado de exterogestação). Esse projeto maior, que durou quase um ano, recebeu o nome "Além do Fim do Mundo" e registrou o processo de gestar o futuro em quarentena, isolados do nosso universo afetivo. Como um diário visual da experiência de gestar o futuro durante uma pandemia, esta proposta de registro do cotidiano surgiu em meio às tantas privações que o isolamento nos impõe. Vivenciamos sozinhos as transformações em meu corpo, o progresso dos movimentos do bebê, o preparo emocional do ninho para receber um novo membro, nossa lenta metamorfose em pais, sua chegada, o caos dos primeiros dias. E isso enquanto tentávamos (ainda tentamos), como todo mundo, construir alguma nova normalidade dentro das possibilidades de uma sociedade em colapso, que se recusa a admitir o esgotamento dos caminhos escolhidos, que desvia o olhar dos corpos que deixa pelo chão e se encaminha voluntariamente para o precipício. Nesta minissérie, destaco os reflexos da quarentena e do isolamento na experiência social da gestação e puerpério. Foi preciso abrir mão de práticas de registro comuns à vivência da gravidez: não tivemos ensaio gestante, documentação fotográfica do parto, ensaio recém nascido. Também não pudemos receber visitas e a chegada, crescimento e desenvolvimento do nosso filho têm sido compartilhados com os nossos laços por meio do pequeno computador de mão que se tornou presença obrigatória em todos os momentos. O projeto foi feito em parceria com meu parceiro de vida, o também artista André Persechini.