Míriam Ramalho  |  Rio de Janeiro, RJ

Vazio

Antes da pandemia viajava muito. Conheci alguns países, encontrei muitas pessoas. Nunca poderia imaginar que minha liberdade de ir e vir estaria bloqueada por algo invisível e assustador. Me ver entre paredes logo nos primeiros meses em que a ordem era de ficar em casa, me deu ao mesmo tempo uma sensação de segurança e um estancar de desejos. Todos os lugares da casa falavam pouco comigo, apesar do acolhimento. Foi no banheiro onde encontrei o reflexo exato do momento que vivia. Estava só e com um grande branco na cabeça. O que fazer para expressar esse sentimento? Assim surgiu a série.