Juliana Fontes  |  Aracaju, SE

Reflexos de uma espera sem sentido

Sobre a espera de um encontro que não aconteceu. Sobre a solidão de quem ama só, sem saber quando também será amado, se será amado. Esperar. Amar é esperar a hora certa desse encontro acontecer. Um encontro que não aconteceu antes e não sei se acontecerá após a pandemia. Como amar na pandemia além das redes, das distâncias, das inseguranças desse espaço tempo em que estamos vivendo. Estamos vivendo? Estamos amando? Um breve recorte de uma espera sem sentido. ¨Mudei a passagem. Sai com o pensamento em te encontrar. Nada tinha sido como achei que fosse ser. Seria minha última chance de te ver. Eu queria, pelo menos, te olhar de longe. Fui até onde você poderia estar. Uma estação vazia. Não sabia pra onde ir dali. O tempo foi passando. Sede, fome, e a bateria do celular acabando. Pessoas passavam e me olhavam. E eu sozinha a me perguntar: o que estou fazendo aqui? Fiquei ali por um bom tempo imaginando se eu te beijaria. Depois voltei pra casa. Sem te ver, sem você...