Priscila  |  São João del-Rei, MG

Por enquanto está tarde

Por enquanto o rio seca, por enquanto água deserta. Este ensaio apresenta o cenário inóspito provocado pelas ações humanas ao meio ambiente. A distópica condição dos corpos na era do colapso da água. Se antes as águas traziam o reflexo da natureza, das silhuetas e do céu, hoje, refletem a secura de um espaço que em pouco tempo pode deixar de ser habitável. Estudos indicam o destino preocupante que o ser humano está impondo ao planeta. Doenças infecciosas e ondas de contaminações como as que estamos vivendo atualmente são resultado de um avanço capitalista sobre áreas que deveriam ser mantidas como naturais. Ações de exploração precisam cessar. Por enquanto está tarde, só por enquanto.