Jennifer Barcelar Gomes  |  Barueri , SP

Quando o Azul invade o Céu, é Morte

A série Quando o Azul invade o Céu, é Morte, se apresenta em obras que resgatam ao multifacetado e paradoxal constante das representações da cor azul como agouro de escassez, reflexo interior e exterior e profundidade sentimental; entre a frieza e o calor do azul como cor, desde dias ensolarados aos mórbidos e silenciosos - e mesmo assim tão cheios - profundos dos oceanos. Busco referências à poética realista e etérea de Istvan Sandorfi, à obra literária Vidas Secas de Graciliano Ramos, entre outras estéticas que compõem a pesquisa que re-monta as relações de vida-tempo-morte das quais estão constantemente presentes durante minha atual pesquisa, na qual crio imagens e dou lugares para minhas angústias, memórias e experiências. Como a secura do sertão vê o horizonte dispersando azuis infinitos ou o acolhimento e calma que q se esvai, porém permanece, aqui se faz confusão de antíteses. Muitas das quais roubam lugares no mundo, nas casas, no íntimo.