logo-site
Prix Photo
Fernanda Chemale é fotógrafa e artista visual com formação em Comunicação Social pela PUC/RS. É autora dos livros Tempo de Rock e Luz, ElefanteCidadeSerpente, Desordem. Suas obras estão em coleções públicas e privadas entre elas Pirelli/MASP de Fotografias, Coleção Joaquim Paiva / MAM-Rio, MAC-RS, Pinacoteca Municipal Aldo Locatelli, Museu do Homem do Nordeste, Fundacion Albacete Espanha, Centro de Fotografia de Montevidéu. Realizou exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Em sua trajetória conta com exposições como em Montevidéu, Buenos Aires, Portugal, Espanha, Alemanha, França, Suíça, Itália, Japão e Estados Unidos. Seus arquivos estão presentes em diversos livros publicados. Recentemente apresentou a exposição Ainda Ontem: Melodias ao Vento, curadoria de Ângela Berlinde, uma retrospectiva exibida em Porto Alegre e Rio de Janeiro nos 20 Anos do FotoRio. Em 2024, recebeu o Prêmio Açorianos de Artes Plásticas destaque para exposição individual. Vive em Porto Alegre.

Fernanda Chemale

RS
/
Brunno Covello - Prix Photo AF 2014

InundaçãoInundaçãoInundação

Inundação

A enchente chegou mais cedo aqui em casa em forma de uma forte Hepatite A. Pensando depois, também percebi outros sinais como infiltrações no banheiro e cozinha e ainda alguns dias de hospital.

Para reabilitar, fomos para o mar, era meu aniversário, 3 de maio, quando acompanhamos perplexos e absolutamente envolvidos o transbordamento do rio Guaíba e seus afluentes Caí, Sinos, Jacuí e Gravataí no Rio Grande do Sul. Na echente nossa casa ficou intacta o que era um grande alívio. Muitos perderam suas casas e coisas, custou também vidas, as cidades tudo e todos estavam muito atingidos.

Quando voltei para Porto Alegre, cidade banhada pelo rio Guaíba, a inundação já tinha cedido. Fui em busca dos rastros da água, esse movimento novo que surgiu onde o limite de suas margens invadiu a cidade, as margens que subiram com intensidade e foram recuando, deixando rastros quase como eras geológicas.

“Inundação” me faz pensar sobre o desequilíbrio ecológico, a emergência climática e o que cada indivíduo e governantes fazem para assegurar o respeito a natureza? O que nós vamos fazer para assegurar a harmonia?
logo-site